Como “Enganar” a Mente e Começar a Investir

Criativa Mente
18 de dezembro de 2017
Nutrição Consciente
26 de dezembro de 2017
Exibir tudo

“Eles podem porque pensam que podem.”

Virgílio

Uma das principais dificuldades que a maioria das pessoas tem para investir mensalmente, de forma regular, e assim se beneficiar dos juros compostos, reside no fato de não ter a disciplina e o autocontrole para separar parte da renda e destinar para a conta de investimento. Com base nisso, seguem algumas dicas e artifícios de que utilizo para me beneficiar e se livrar da auto sabotagem financeira: São elas:

  • Pague-se primeiro. Reserve 10% de sua renda para deixar em investimento de alta liquidez como a poupança ou Tesouro Selic para despesas rotineiras, e assim evitar pegar dinheiro emprestado;

  • Se você é empregado e recebe salário fixo, configure sua conta na corretora (ou no banco) para descontar automaticamente o valor destinado para investimento e comprar os títulos públicos, os CDBs, as LCAs, as ações, etc.;

  • Se possível, a sua conta de investimento deve ser separada daquela que você recebe seu salário. Em regra, você não pode contar com os recursos reservados para os investimentos;

  • Se não possui seguro de vida, providencie um. Vale muito a pena o risco x retorno. Não conte com a sorte e nem com o INSS para isso!

  • Se você é autônomo, a sua renda é variável. Nesse caso, requer mais disciplina para destinar o dinheiro para os investimentos;

  • DIVERSIFIQUE SEMPRE! Se decidiu investir R$ 500,00 mensais, você pode adotar a seguinte metodologia, por exemplo:

  • Em janeiro você compra R$ 500,00 ETF (fundo de índice, BOVA11 ou SMAL11, por exemplo). Se o seu capital permitir você pode comprar diretamente no mercado secundário por meio de lote padrão, ou se o valor for pequeno, diretamente no mercado fracionário (BOVA11F ou SMAL11F).

  • Em fevereiro você compra R$ 500,00 de Títulos Públicos (Tesouro Direto); Obs: é importante também diversificar nesses títulos.

  • Em março você compra mais R$ 500,00 de FII (Fundo de Investimento Imobiliário); Obs: é importante, igualmente, diversificar nesses fundos. Uma boa diversificação deve conter de 5 a 20 FIIs.

  • Em abril você compra outros R$ 500,00 de CDBs, LCAs, etc.

  • E assim sucessivamente…

  • Atentar para corrigir o valor dos aportes de acordo com a inflação anual, e se possível superior a ela de modo a manter o poder de compra ao longo do tempo e alavancar mais rapidamente o seu patrimônio.

A grande vantagem da diversificação é que é possível se beneficiar do melhor de dois mundos: a diluição do risco e a taxa de retorno que, no longo prazo, supera a média de retorno de um único investimento.

Disciplina, simplicidade e diversificação! Eis aí o segredo da independência financeira! Em “Como perder dinheiro na cri$e e ainda assim ficar $Rico$”, vamos tratar da questão mental, principal  limitador para o sucesso.

Espero seu comentário, forte abraço!

Levi Melo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *